Mais portas se fechando por falta de aporte

A máxima de que a maioria das startups falha ganhou novos contornos em 2022 com a desaceleração econômica e os alertas dos investidores de que é preciso segurar o caixa. Em uma análise dos “obituários” de 16 startups que fecharam suas portas desde abril, o CB Insights indica que muitas destas empresas nascentes de tecnologia encerraram sua atividade por não conseguirem levantar capital em um ambiente de investimentos mais limitado – os aportes globais caíram 23% no segundo trimestre na comparação com os primeiros três meses do ano. A piora do mercado foi citada como motivo para o fim das operações de cerca de 2 em cada 3 startups.

Para algumas empresas, como a BeyondMinds, a tentativa de achar um comprador também não foi bem sucedida. E chamou atenção o fato de três edtechs indianas afirmarem ter fechado as portas devido a dificuldades enfrentadas com o retorno do ensino presencial. O cenário atual é a continuação do que já estava evidenciado na última atualização da análise, publicada em abril. Na época, o CB Insights já alertava para a maior dificuldade na obtenção de novas rodadas levando ao fim das atividades de algumas startups, como aconteceu com a Fast.

Olhando em retrospectiva, desde 2020, é possível observar que os problemas de capital existiam antes do inverno dos VCs, mas esse era mais um dos responsáveis pelo fim das atividades das startups e não o fator principal para grande parte das empresas fecharem as portas – mesmo logo após o começo da pandemia. Alguns dos outros motivos citados eram problemas no product-market fit, questões legais, pressões regulatórias, competição e problemas relacionados ao coronavírus.

Fonte: The Shift

Visits685

Deixe um comentário