Como escapar do superendividamento

Você já ouviu falar do superendividamento? Certamente já. Afinal de contas, a pandemia da Covid-19 trouxe não apenas o medo de contrair uma doença desconhecida, como também mexeu com as finanças de muita gente.

A incerteza, aliás, fez com que as dívidas de milhares de brasileiros chegassem a um nível tão alto que algumas delas se tornaram impagáveis. São os superendividados, pessoas cujas dívidas acumuladas superam em 30% seus rendimentos.

Isso quer dizer que essas dívidas jamais serão pagas, é isso? Não exatamente. Embora, à primeira vista, tais débitos pareçam imensos, é possível escapar dessa armadilha e colocar sua vida financeira dentro dos trilhos. Confira algumas dicas que ajudam a tornar isso possível.

Liste todas as suas dívidas

O primeiro passo para quem quer deixar o superendividamento de lado é listar todas as dívidas que essa pessoa possui, saindo da mais cara para a mais barata.

Liste suas despesas fixas

Um segundo ponto na hora de colocar as finanças em ordem é listar todas as despesas fixas que a pessoa possui mensalmente. Desta forma, você poderá avaliar o peso desses débitos frente aos seus gastos mensais.

Atenção: aqui é para listar tudo mesmo, não só as contas de água e luz. Não esqueça a pizza do final de semana, a ida ao cinema ou aquela passagem rápida no salão. Tudo isso é gasto.

Tem uma família grande? Todos precisam incluir todos os gastos. Assim a leitura será mais completa.

Defina a ordem das dívidas

Agora que você colocou tudo o que deve no papel, deve estar se perguntando: como escolher aquelas que vou pagar? Na sorte? Nada disso. Para iniciar o saneamento de sua saúde financeira é importante escolher, com cuidado, as dívidas que serão pagas primeiro.

Por isso, um truque muito eficaz é começar a pagar aquelas cujos juros são mais altos e, com o passar dos meses, podem se tornar bolas de neve, como cheque especial ou cartão de crédito.

Renegocie as dívidas

Agora que você já listou todas as suas dívidas e sabe qual pode se tornar incontrolável mais rapidamente, é hora de entrar em contato com seu credor e se preparar para a renegociação.

A renegociação é uma etapa muito importante, pois essa negociação pode trazer uma boa redução do débito, lhe ajudando a colocar tudo nos trilhos. Por isso, o

ideal é preparar uma proposta para esse credor, considerando sua capacidade de pagamento.

Cuidado: muitas pessoas, na ânsia de se ver livre das dívidas o quanto antes, querem renegociar tudo e limpar seu nome. Faça isso apenas se você tiver condições de arcar com essas dívidas, para não piorar sua situação financeira.

Fuja dos vilões do endividamento

Quem quer escapar do superendividamento precisa fugir dos grandes vilões: o cheque especial e o cartão de crédito. Essas duas modalidades cobram juros altíssimos, e podem colocar qualquer um em um verdadeiro poço sem fundos de dívidas.

Então, uma dica é pedir o cancelamento do cheque especial e do cartão de crédito. Não se esqueça de negociar todos os débitos que permanecerem em aberto. Afinal, não é porque você cancelou o cartão que as dívidas vão desaparecer magicamente.

Passou um cheque e ele voltou? Procure os locais onde emitiu esses cheques e peça-os de volta. Assim, você poderá dar baixa na negativação e começar a colocar sua vida financeira em dia.

Renegociou? Pague as parcelas em dia

Por fim, para quem faz uma renegociação, uma dica fundamental é não atrasar o pagamento de nenhuma parcela dos pagamentos, desta forma, você pode deixar para trás o superendividamento e ter seu nome limpo novamente.

Visits124

Deixe um comentário